6 de mai de 2011

O Duque e a duqesa / Rumo à canonização / Guerra declarada.


O Duque e a duqesa / Rumo à canonização / Guerra declarada.

Um dos eventos mais repercutidos da história aconteceu na Inglaterra. O sucessor ao trono, Príncipe William, casou-se com a plebéia Kate Middleton. O casamento realizou-se a 29 de abril de 2011, na Abadia de Westminster, em Londres. O evento foi assistido por 2,5 bilhões de pessoas ao redor do mundo, um recorde. Kate usou um vestido feito por Sarah Burton, sucessora de Alexander McQueen e uma tiara Cartier da Rainha Elizabeth II. O casamento reuniu 1.900 pessoas convidados. Ela saiu do hotel cinco estrelas que estava hospedada às 6h51min, transportada na mesma carruagem de cristal que levou Diana ao seu casamento, em 1981. O evento foi considerado feriado nacional no Reino Unido, e mobilizou 5000 agentes policiais por toda a cidade de Londres. Milhares de pessoas vindas do mundo inteiro armaram suas barracas uma semana antes para poder assistir de perto o grande casamento. Com todas as dignidades e honrarias, agora eles são os Duque e a Duqesa de Cambridge.
O clima de casamento reforça o mês de maio, considerado o mês das noivas.

Primeiro de maio; dia do trabalhador, aniversário de morte de Airton Senna, e aniversário do meu irmão; foi beatificado o Sumo Pontíficie Papa Jão Paulo II (18 de maio de 1920 2 de abrilde 2005). Seu caixão foi elevado ao altar, no Vaticano, e quem o declarou beato foi o Papa vigente Bento XVI.
Assim como Madre Teresa de Calcutá e Padre José de Anchieta ser beato significa ser um católico exemplar, em todos os sentidos, durante toda a vida. Karol Wojtyla (primeiro Papa não itlaiano da história) é reconhecido pelo trabalho que desenvolveu ao peregrinar por mais de cem países, ao beijar o solo de cada um deles e ao dialogar com as mais altas autoridades. Sua mensagem pastoral foi atentamente ouvida por representantes de governo, reis, presidentes e primeiros-ministros. João Paulo II, em 1980, foi atingido por três projéteis e não morreu. Não bastasse, foi até a cadeia onde estava seu atirador e o perdoou pessoalmente. Perdoar já é ter muita coragem, mas não morrer, com um tiro na mão, no cotovelo e no estômago é um milagre. Rumo à canonização, vai virar santo.

Três mil mortos nas torres gêmeas. Financiado pelos EUA, lutou contra tropas da União Soviétiva e Afeganistão nos anos 80 – o que levou à criação de um organização fundamentalista islâmica, vulgo Al-Qaeda. Nasceu em 1957, casou com 17 anos, teve 23 filhos e 5 esposas. Muitos acham que sua morte é fato, já que Barack Obama jamais colocaria sua face em rede nacional para mentir. O presidente dos EUA participou, quinta-feira última de uma homengem às vitimas do 11 de setembro; distribuiu medalhas para ex- combatentes da Coreia; promoveu um evento (corida de bicicletas) para os soldados que se feriram na guerra do Afeganistão; mas as fotos, no mínimo, fortes não serão propagadas, segundo decisão da Casa Branca, porém, guardá-las é uma cautela que afronta a lei-da-gravidade da internet, e até mesmo o homem mais poderosos dos EUA não conseguirá revogar essa lei – cuidado: o wikleaks - que publica posts de fontes anônimas, documentos, fotos e informações confidenciais, vazadas de governos ou empresas - está de olho. O corpo foi encontrado com dois números de telefones e quinhentos euros – sinal que Bin Laden fugiria dali logo. Ele não vivia feliz, sempre tentava despistar a população e era um nômade, as autoridades levaram seu corpo, documentos e computadores, para investigação.
E para não restar dúvida de que tal morte foi uma intensa felicidade para o povo americano; o soldado que abateu Bin Laden; será condecorado em uma solenidade secreta, e ninguém saberá quem o matou. Mas o ex-homem mais forte da Al-Qaeda tem muitos seguidores, e talvez a terceira guerra mundial esteja declarada – será que o mundo acaba mesmo em 2012? A conferir!

"Nem sempre a guerra é inevitável. Ela sempre é uma derrota para a humanidade." (Papa João Paulo II)