26 de jul de 2013

O primeiro papa Latino-Americano




Dia onze de fevereiro Bento 16 anunciou que deixaria o cargo e, a treze de março é eleito Jorge Mario Bergoglio, Vossa Santidade, o Papa Francisco - um jesuíta cheio de carisma que conquistou milhões de fãs com sua simplicidade.
Aqui no Brasil o primeiro lugar de sua visita foi Aparecida do Norte, de modo que, às 4 horas da manhã já havia uma fila homérica à espera do Papa . Contrariando o frio, os fieis - e não fieis também - estavam animados para ver aquele que, há pouco, assumiu o cargo mais alto da igreja católica. As pessoas que esperavam pelo Papa estavam na fila há mais de um dia, de maneira que a educação cristã desapareceu, já que muitas pessoas furavam a fila, uma vez que não havia polciamento naquela madrugada. Se o papa visse pessoas a furar fila não celebraria nem na basílica.
Os primeiros da fila chegaram ao Santuário de Nossa Sra. Aparecida às seis horas da manhã com  malas, roupas e cobertores a tiracolo e ficaram a procurar por informações durante o dia todo. O Papa só entraria pelo portão às sete horas do dia seguinte, domingo. Tinha gente que oferecia dinheiro para furar fila, pessoa que ofereciam comida para furar, porém, muitos não se vendiam, apenas queria assistir a missa.
Dentro do templo metade das cadeiras estavam reservadas às autoridades, porém, esse, não ficaram na fila a esperar mais de um dia sem comer, sem beber, sem ir ao banheiro... pelo contrário, desciam de helicóptero. Quando o Papa entrou, a emoção tomou conta dos fieis e, com sorriso no rosto, os cumprimentavam, de modo que foi bastante ovacionado por todos, embora a estrutura e organização deixaram a desejar. Fora do templo: frio e garoa. Milhares de fãs ouviram a missa do lado de fora a portar guarda chuva nas mãos.

Rio de Janeiro
Na visita à favela carioca de Varginha o Papa Francisco afirmou que só haverá paz nas comunidades se houver justiça social, "não haverá harmonia e felicidade para uma sociedade que abandona à margem, parte de si mesma. Queria fazer um apelo para as pessoas de mais recurso e autoridades de boa vontade que não se cansem de trabalhar por um mundo mais justo e solidário" e ainda brincou que gostaria de tomar café - e não cachaça - na casa de cada brasileiros.
Para a Jornada Mundial da Juventude o Pontífície chegou às 16h. de segunda feira e foi recebido pela presidente logo no aeroporto. E pra quê carro blindado se ele deixou a janela do carro aberta, a fim de saudar a população? Desfilou pelo centro do Rio a bordo do papa móvel, beijou uma criança (que, uma hora dessas, além de abençoada, deve estar famosa) e chegou à Catedral Metropolitana que estava pintada com as cores de seu país. Vossa Santidade se encontrou com milhares de argentinos, mas o local não comportou todos os cinco mil fieis, peregrinos, voluntários, sacerdotes, simpatizantes e hermanos em geral. Tal evento, que não estava na agenda da Jornada, durou trinta minutos. Após, o Papa foi para uma festa católica na praia de Copacabana
Ontem o Papa rezou missa, ouviu confissões, se encontrou com presidiários, orou, fez reunião e assistiu à encenação da Via Sacra. Se a fé move montanha não se sabe, porém, moveu - com frio e chuva - um milhão de cariocas adoradores de sol.

“Bote fé, bote esperança e bote amor”,  Jorge Mario Bergoglio, Papa Francisco, (1936, Buenos Aires) durante homília.

Nenhum comentário:

Postar um comentário