19 de jul de 2013

esse tal de facebook...



Aí eu acordo, vou para o computador, acesso meu e-mail e abro a primeira mensagem que é uma resposta de uma agência de viagens que me informa a respeito de como conseguir vistos e morar fora. Dicas boas até! Pulo pra próxima mensagem, e a coordenadora da escola me informa dos horários pós-férias. A terceira mensagem fala assim: "Guilherme: existem informações pendentes de seus amigos." Ignoro e pulo pra próxima que diz: "Fulano de tal também comentou um status em que vc foi marcado." Ignoro. "Sr. Omar aceitou seu pedido de amizade" ainda assim pulo pra próxima, já que não lembro do sujeito. "Maria do Carmo fez um comentário em seus post". A próxima mensagem em meu e-mail diz que minha esposa curtiu fotos que eu postei, mas como nem lembro das foto, então abro e, lá estão meus filhos que coloquei na rede.
Aí já viu né... uma vez dentro da rede social você vai, inevitavelmente, explorar tudo que se passa e surfa qualquer onda dentro daquele mar de fofocas. Existem coisas interessantes como: "Dia sete de setembro Brasil vai parar: 30 milhões de brasileiros nas ruas no país todo!".  Então começo a descer a barra de rolagem de meu computador e percebo postagens mais desinteressantes que outras: "hoje acordei." Acordou o que, meu? O pior são comentários "eu também...rsrsr", "acordou bem? saúde e sucesso". Tem alguns irônicos:: "nossa... é verdade? como vc ia conseguir escrever dormindo?"e por aí segue.
Mais abaixo existe um comentário de alguma adolescente do sexo feminino com a palavra: "quero", ao que os comentários são piores: "ahahaha...",  "eu também quero...",   " qué o q?",  " legal q vc quer, Ana... mas o que exatamente?",  "então vai querendo porque eu n te dou - ahahah", "fica querendo, então," Chego à conclusão que isso é um santo remédio para quem não tem nada a fazer - e olha que quase todo mundo tem "nada pra fazer", aliás, a gente arruma tempo pra tudo... até pra não fazer nada!
Aí alguém posta a foto do filho de dois anos babando doce de leite. O primeiro comentário é o maior clichê de todos: "Que lindo!" O segundo: "que fofo" O terceiro: "lindo...". O quarto: "fofo".. . É... a criatividade é uma coisa onerosa... dá preguiça tê-la! o vigésimo quinto comentário é o mais criativo: "como ele tá fofo Ká... parabéns". Aí tem alguém que curtiu um link de algum outro site intitulado: Os benefícios da homeopatia na menopausa do terceiro milênio" - quer dizer - quem vai ler isso?. O título é um convite para não ler, soma-se a isso o fato de que foi uma menina de dezenove anos que lincou, ou seja, o link não havia comentário algum.
Claro que as redes sociais, principalmente essa dai que é o titulo dessa coluna, existem para sanar a carência dos humanos. o Brasil é o segundo país em número de cadastros (63 milhões) atrás apenas do EUA (150 milhões). Diante dessa informação qualquer um pensaria: "vai ter gente carente e fofoqueira assim na China! Pois é... a China é o terceiro país onde mais se usa o portal - e olha que lá é bloqueado, hein.
"Essa foto está show!" alguém comenta sobre uma foto refletida no espelho, tirada com uma péssima resolução e desfocada! Os moleques fazem de tudo para agradar a menina que está a paquerar... vale até elogios em fotos que são horríveis. E então alguém te convida para jogar um troço que chama: Candy Crush Saga. É um joguinho no face em que você tem que formar colunas e linhas de docinhos. Quanto mais colunas ou linhas forem eliminadas, mais pontos você ganha. O negócio e um vício até você se cansar. Quanto mais fase você passar, mais estrada você vai ter para percorrer. Se a pessoa faz poucos pontos, ela para no início da estrada. Se o "amigo" desistiu de jogar com uma quantidade média de pontos, então para no meio da estrada. Tem aqueles viciados que concluem a estrada toda. O cara ficou quantas horas a jogar esse treco? Eu sou paciente para outras coisa , mas não para isso! Tanto que cheguei um pouco mais além da metade de meu caminho e não continuei mais, porém, me abre uma janela a me convidar para outro jogo, em que eu devo salvar animais de uma fazenda. A regra é parecida: quanto mais colunas ou linhas eu eliminar, mais animais serão salvos. Aí vem outro convite para jogar outra coisa e, então, dou início a uma nova saga, mas também não dura muito. Falei: "quer saber: tchau!"
Esse negócio de jogar no computador tira a vida da pessoa! Você esquece do mundo e, se tem algum compromisso mais sério, deve ser forte e abandonar seu jogo no meio da empreitada. Talvez seja por isso que eu nunca fui chegado em video games. Meu medo é justamente esse. Ficar na frente da Tv ou Pc e esquecer da vida. Por isso nem arrisco. Todos os amiguinhos do meu filho tem video-game na sala de aula, mas ela não, já que eu não fui criado com esse brinquedo.
Os patrocinadores do sitio são os piores: "siga essas dicas e perca dez quilos em três semana" ainda existem aquelas fotos do antes e depois: Na foto do "antes", a pessoa está tão magra que se bater um vento, ela voa - parece um filé de grilo! Na foto do "depois" parece que o Capitão América saiu da Máquina Incubadora - faz inveja até no Hulk!
Das informações que circulam na na rede, 80% são desconfiáveis. De toda a quantidade de sites que existentes na internet, 80% são proibidos para menores de dezoito anos. Conclusão: ou tem muita gente acreditando em mentiras, ou tem muita gente vendo coisa que não presta. (e o facebook é uma delas.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário