28 de jun de 2013

cronica da inocência


Crônicas da inocência

Não importa se você é rico, gordo, feio, pobre, bonito, - a criança não enxerga essas coisas. Independentemente de sexo, religião, cor, classe social - a criança ama incondicionalmente. Se você briga com ela por causa que ela fez da panela uma bateria, alguns minutos depois, portanto, ela estará ao seu lado a solicitar-lhe atenção. Se você esbraveja só porque a criança rabiscou um documento importantíssimo que você esqueceu sobre o criado-mudo; algumas horas após ela estará com a cabeça encostada no seu ombro a pedir-lhe carinho.
Quando tornamos adultos, por vezes, ouvimos sugestões do tipo: 'não seja ingênuo!' - como se isso fosse a pior coisa do mundo. Absolutamente! Minha avó, por exemplo, morreu com oitenta anos sendo ingênua, viveu muito bem, e isso nunca foi uma desvantagem: minha mãe é ótima pessoa, assim como meus tios - a educação não foi influenciada pela ingenuidade de minha vó.
E então o filho chega em casa a reclamar que o coleguinha da sala o empurrou, e o pai diz: 'Não seja bobo, filho, vá la e revide'. Pra quê? Pra gerar violência? Talvez o mais correto a fazer é ignorá-lo de modo a não mais falar com esse "coleguinha". Ok, a vida tem suas vantagens e desvantagens em fazer-nos aprender que, alguns momentos, não podemos ser tão ingênuos, mas a pureza do ser-humano tem muito de nossa consciência. Se você achar uma carteira com cem reais e o RG, você entrega ao dono?... é a sua consciência que manda!
A criança não faz por mal, não mede controle... às vezes solta um palavrão porque ouviu alguém falar, mas cabe aos pais advertir. Já diziam grandes filósofos da época Antes de Cristo: A retórica é o melhor remédio. Ou seja, quem não se comunica se estrumbica (sic). Até um ano de idade Pedro Henrique, 6, meu filho, viveu único. Daí, vieram os gêmeos, o que reduziu em 33,33% a atenção voltada para o primogênito, de maneira que causou-lhe insegurança. Soma-se a isso o fato de termos tirado a chupeta do Pedro precocemente. Resultado: chupa dedo até hoje
Passei-lhe um sermão: "Pedro, a vida não é tão fácil como parece. Ninguém vai passar a mão na sua cabeça pelo resto da vida, e você  nem vai ficar chupando esse dedo pra sempre. Esteja certo que a vida vai te dar porrada, mas não importa o quanto ela vai te bater, importa o quanto você aguenta apanhar. O que importa é resistir. Manter-se vivo,então: Força!! Enfie nessa sua cabeça que você consegue e repita: 'eu não vou chupar mais o dedo, eu vou conseguir eu vou conseguir.'" E nunca. nunca deixe os outros falar que você não pode, porque você PODE!
Após alguns segundos repetiu: "eu vou conseguir, eu vou conseguir" Funcionou! às vezes uma conversa basta, ele está no caminho a fim de atingir tal objetivo.
"Primeiro a chuva, depois o arco-íris. Acostume-se com essa ideia" autor desconhecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário